Tag: 1989

Foi em um dia frio do inverno americano, que Andrea Swift trouxe ao mundo sua primeira filha, Taylor Alison Swift. Naquele 13 de Dezembro de 1989, ela com certeza não fazia ideia do que estaria por vir, mas aos 16 anos Taylor lançaria seu primeiro álbum, e a partir dali começaria a se tornar um fenômeno musical tão grande, que seria capaz de mudar toda a indústria fonográfica e causar um enorme impacto no mercado musical global.

Com 6 discos lançados, Taylor se tornou uma das maiores estrelas do mundo, reconhecida em qualquer lugar e com uma influência tão grande, que acabou mudando completamente a forma com que as plataformas de streaming musical paga os direitos autorais aos artistas e compositores. Em 2014 deixou sua origem country um pouco de lado e pela primeira vez lançou um álbum totalmente pop, o multipremiado ‘1989’. Aos 29 anos, ela já acumula 10 Grammy Awards, turnês com arrecadações milionárias e recordistas de público, e muitos outros recordes além do prestigio e respeito conquistado depois de muita luta contra um mercado ainda machista. Confira os 13 momentos marcantes na vida de Taylor Swift:

Inicio do Sucesso: O primeiro Grammy com Fearless

Em 2010, Taylor Swift ganhou pela primeira vez o prêmio de Álbum do Ano, com “Fearless” na maior premiação da história da música, o Grammy. Naquele ano, ela concorria contra artistas como Beyoncé, The Black Eyed Peas, Lady Gaga que já estavam na indústria por um bom tempo.

“Espero que todos saibam o quanto isso significa para mim. Esse prêmio é para o meu pai, por sempre ter dito que eu poderia fazer tudo o que quisesse. Essa história eu contarei para os meus netos. Muito obrigada”, disse Swift ao receber o prêmio.

1989: A Era dos recordes

Primeiro álbum totalmente pop na carreira de Taylor Swift, o ‘1989’ foi seu quinto álbum de estúdio e rendeu a cantora diversos prêmio e recordes. Já em seu lançamento se tornou o álbum feminino mais vendido nos últimos 12 anos, com o total de 1 milhão e 300 mil cópias, ultrapassando Britney Spears, que até então era a detentora do recorde. Além disso, Taylor é a única artista a estrear mais de 3 álbuns com mais de 1 milhão de cópias na Billboard 200.

Com o clipe de ‘Shake it Off’, single carro-chefe do álbum, Taylor conseguiu mais de 1 bilhão de visualizações no Youtube. Mas foi com ‘Blank Space’ que ela entrou para a história, sendo a primeira mulher a conquistar 2 bilhões de visualizações em um clipe.

A ‘1989 World Tour’ também quebrou recordes, sendo a maior turnê dos Estados Unidos, porém perdeu este posto para a sua sucessora, a ‘Reputation Stadium Tour’, ou seja, somente Taylor conseguiu quebrar seu próprio recorde.

O álbum ainda recebeu 7 indicações ao Grammy Awards em 2015, vencendo nas duas principais categorias: Álbum do Ano e Melhor Álbum Pop Vocal. Em 2018 o álbum segue atingindo marcas incríveis, e continua a 200 semanas na lista dos mais vendidos da Billboard.

Além da música: Taylor Salva a Polaroid da falência 

O ‘1989’ é totalmente inspirado nos anos 80. Então, todas as fotos do encarte do último álbum da Taylor foram feitas pela Polaroid. Com o avanço da tecnologia, o produto foi sendo esquecido e substituído por celulares e etc. Entretanto, após o lançamento do álbum de Swift, o presidente da Polaroid agradeceu a cantora por elevar o número de interessados pelo produto: “A equipe dela veio até nós e nos contou sobre o ‘1989’, que foi o ano de seu nascimento. Eles disseram que adorariam um tema inspirado em polaroids, então fizemos uma parceria com eles e distribuímos 12 fotografias com a edição especial do disco”, explicou. “Após o lançamento do álbum, houve um ressurgimento enorme das câmeras Polaroid, essa nova geração ama a sensação de nostalgia e a qualidade retrô que nossa marca representa”, declarou Scott Hardy, presidente da Polaroid.

Safe and Sound: Trilha Sonora de Jogos Vorazes

Taylor foi uma das grandes responsáveis pela trilha sonora do filme ‘Jogos Vorazes’, lançado em 2012. Para a adaptação cinematográfica, Taylor compôs e lançou duas músicas: ‘Safe and Sound’ e ‘Eyes Open’. Em parceria com o duo The Civil Wars, ‘Safe and Sound’ foi a canção principal no enredo do filme e acabou sendo indicado ao Grammy Awards nas categorias: Melhor Performance Grupal de Country Music e Melhor Canção Escrita para Mídia Visual, vencendo este último.

Bad Blood: Taylor x Nicki Minaj

Dessa vez não estamos falando exatamente de uma parceria, já que as duas nunca lançaram uma música juntas, mas em 2015 aconteceu quase isso. Nessa época os jornais e blogs de fofoca não tiravam o nome de Taylor de suas páginas. Todo dia um novo rumor, ou uma nota sobre a cantora. Uma das de maior repercussão dizia que a estrela do pop teria brigado com a rainha do Rap Nicki Minaj, até então ambas eram amigas.

A situação foi crescendo, as fofocas foram ganhando a televisão e para acabar de vez com os rumores, Nicki Minaj, que iria abrir o VMAs daquele ano, convidou secretamente Taylor Swift para dividir o palco com ela durante abertura.

No meio da performance de Nicki, uma voz aguda aparece, Taylor surge no elevador central. O momento foi um grande choque para a mídia e para o público, no dia seguinte não se falava em outra coisa. As duas apresentaram juntas os hits ‘The Night Still Young’ e ‘Bad Blood’, encenando uma briga no palco em referência aos rumores.

Prazer Nils Sjöberg!: O pseudônimo de Taylor

Qualquer pessoa do mundo sabe que Taylor é uma boa compositora. Durante o seu namoro com Calvin Harris, a cantora escreveu e gravou uma demo de “This Is What You Came For”, hit que mais tarde, foi lançado oficialmente com a voz de Rihanna.

Entretanto, durante o lançamento, o misterioso Nils Sjöberg foi creditado como um dos compositores na faixa. O que mais tarde, após o fim de namoro entre os dois, foi revelado pelo TMZ, que Swift usou o codinome para não ser creditada no single, que despertou a ira do DJ.

Time’s Up: Taylor e o processo de 1 dólar

Em 2013 um episódio triste motivou Taylor a entrar com um processo por assédio sexual contra o DJ David Mueller. Durante um Meet&Greet da ‘Red Tour’, David, que estava acompanhado de sua esposa, apalpou o bumbum de Taylor. O momento foi registrado pelo fotografo que estava presente no local.

O processo então correu até ser finalizado em 2017. As alegações foram declaradas verdadeiras e David foi condenado a pagar a indenização solicitada por Swift. A cantora, no entanto, não pediu nenhuma fortuna. 1 Dólar, foi a quantia estipulada por ela, que disse que a intenção não era ganhar dinheiro em cima da situação, e sim denunciar a atitude e dar coragem a outras meninas que passaram pela mesma situação. Taylor ainda se comprometeu a fazer doação para instituições que cuidam de vítimas de abuso. “Minha esperança é poder ajudar aquelas cujas vozes também devem ser ouvidas”

Fada Caridosa: A contribuição para causas nobres

Diversos anos, Taylor liderou a lista de artistas que mais fizeram caridade. A cantora já doou 4 milhões de dólares para o Museu Hall da Fama de Música Country, 150 mil dólares para um colégio no Alabama, atingido por um tornado e passou horas com crianças que estão passando por tratamento de câncer, em Nova York. Além disso, no ano passado, Kesha revelou que Swift fez uma doação de 250 mil dólares para ajudar em suas despesas jurídicas com o caso que enfrentou contra seu antigo produtor, Dr. Luke. Ser caridosa é essencial, né?

A Luta com o Streaming: Carta aberta a Apple mudou tudo  

Taylor Swift fez uma mudança nos streamings. Apesar de ser muito criticada por alguns na época, isso teve um bom feito. Ela fez uma carta aberta para Apple que anunciou que pagará aos artistas durante o período gratuito de teste de três meses de seu novo serviço de música por streaming, o que até então, não havia.

A mudança de posição de uma das empresas mais poderosas do mundo é uma demonstração da grande influência da jovem artista de 25 anos, que anunciou no domingo um boicote parcial ao novo serviço Apple Music.

Em seu Tumblr, Swift declarou: “Eu considero isto chocante, decepcionante e completamente diferente da trajetória progressista e generosa da empresa”.

Era das Cobras: O renascimento de Taylor em Reputation

Junto com o sucesso estrondoso que foi ‘1989’, veio também a crítica, o assédio, a perseguição da mídia de maneira mais intensificada. Taylor então resolveu sumir. Nada se ouviu dela por meses. Dois anos desde o lançamento de seu último álbum tinha se passado, e nada do próximo. Ela havia quebrado sua mais conhecida tradição, de lançar um disco novo a cada dois anos. Todos se perguntavam onde estaria Taylor, até que ela mesma respondeu: “Morta”.

Um black out em suas mídias sociais anunciava algo. Aos poucos o quebra cabeça foi se montando. Uma cobra surge nas capas, teasers são lançados até que ela libera ‘Look What You Made Me Do’, uma grande crítica a várias pessoas e referindo-se a diversos momentos de sua vida pessoal e profissional. No clipe ela aparece morta, saindo de uma cova onde se lê: “Here Lies Taylor Swift’s Reputation” (“Aqui Jaz a Reputação de Taylor Swift”). A fixação por cobras veio de seu apelido, dado por Kim Kardashian e adquirido pela mídia e pelos haters. A nova era mataria aquela Taylor doce e meiga que todos conheciam. A Old Taylor morre para que a Nova surja com força total.

‘Reputation’ foi sem dúvida alguma um álbum totalmente diferente de tudo que ela já havia lançado. Pela primeira vez ouvimos Taylor falando palavrão em uma música, cantando sobre sexo, relacionamento casual e sobre seus inimigos de forma quase que diretamente, só faltou citar os respectivos nomes, mas nem foi preciso, as referências foram trabalhadas de forma genial e o recado estava dado!

Haters Gonna Hate: Ela transforma o ódio em dinheiro

A mídia e os haters podem dizer coisas ruins sobre Taylor, mas, ela sempre irá transformar isso em uma coisa boa. A cantora sempre foi conhecida – infelizmente – por sua lista de ex-namorados, além de rumores sobre ela ser louca. Sempre inteligente, Swift debochou de todos os comentários na irônica “Blank Space”, um dos maiores hits de 2015. E a história se repete em “Look What You Made Me Do”. Com os inúmeros comentários com emoji de cobra, após o ‘exposed’ de Kim Kardashian e Kanye West, após anos, a artista usou isso como tema do seu álbum ‘Reputation’ e mais tarde em sua turnê.

Uma nova era chegando: Taylor muda de gravadora

Ao final de Novembro deste ano, o contrato de Taylor com a Big Machine Records se encerrou. Com isso ela estava livre para renovar novamente ou migrar para uma outra. Todas as gravadoras estavam de olho na galinha dos ovos de ouro, e ao final foi a Republic Records que acabou ganhando. Junto a migração, Taylor adicionou novas clausulas ao contrato milionário. Ela assegurou que suas composições sejam de total propriedade dela, e não da gravadora. Além disso, ela exigiu que os ganhos com serviços de streaming sejam distribuídos diretamente aos artistas, produtores e compositores das obras.

“É incrível saber que eu serei dona de todas minhas gravações ‘masters’ a partir de agora. É realmente importante para mim ter olho no olho com gravadora sobre o futuro de nossa indústria” – escreveu a cantora em carta aberta aos fãs e a mídia.

Cats: O futuro de Taylor no cinema

O futuro ainda deve reservar muito sucesso a Taylor Swift, e não só na carreira musical. A cantora foi escalada para interpretar Bombalurina na adaptação cinematográfica do musical ‘Cats’, grande clássico de sucesso da Brodway. As gravações se iniciaram ontem (12/12) em Londres e o lançamento está previsto para Dezembro de 2019. Além de Taylor, o elenco ainda conta com Jennifer Hudson, James Corden e Ian Mckellen.

 

Texto feito em parceria: Lucas Gabriel e Alexandre Santos