Lançado na última quinta-feira, dia 25, “Soltinha” chega como um funk pop que promete agitar o público no fim de semana (em casa, claro!). Terceira faixa do EP “Indiretas”, de Pri Pach, previsto ainda para este semestre, a música foi composta pela própria cantora em parceria com Arthur Favero.

Para Pri, o funk é um de seus ritmos favoritos por sentir que ele transmite uma verdade. “Ele aborda todos os tabus, tudo que, às vezes, as pessoas querem falar mas não têm coragem – e isso até assusta”, conta.

Como mulher, eu sinto que isso pesa em dobro. Então no funk eu encontrei um espaço para expor sentimentos e vivências que seriam considerados tabus. Eu busco sair do superficial. Não quero necessariamente contar histórias bonitas, mas, sim, histórias verdadeiras.

Em “Soltinha”, a música fala de um amor proibido com abertura para diversas interpretações, nas quais uns podem pensar que a artista é amante, enquanto outros podem apontar o cara – ou até mesmo imaginar que ambos são amigos.

É um romance em que, ao invés de me sentir presa por ser um segredo, eu me sinto solta. Temáticas como essa são abraçadas pelo funk, e a galera se relaciona. Eu sou um livro aberto, adoro expor minha vivência nas minhas músicas, então, sim, pretendo lançar muito mais futuramente. É um estilo contagiante! Sem contar que é uma delícia rebolar né? (risos).

 

Notícias relacionadas