O livro “Ariel:  Travessia de um Príncipe Trans e Quilombola”, escrito pelo jornalista Jared Amarante, foi lançado em janeiro e retrata a história de um príncipe transexual, gordo e preto.

A história apresenta a travessia e transição de Ariel, que vai parar no Quilombocéu quando desabafa com seu papel após sofrer racismo e transfobia de seu próprio pai. No Quilombocéu, Ariel se sente aceito e é corado príncipe da paz.
A ideia é trazer a concepção do que imaginamos ser o céu, ou seja, uma terra de igualdade, resistência, força e segurança. E é neste lugar que Ariel se reafirma para o mundo como um garoto trans, preto e gordo. Vindo a ser corado com um pente garfo entregue por Deus.
“Esta é uma obra cujo propósito é trazer pertencimento e autoestima aos corpos pretos, trans e gordos e, também, educar a criança que mora no adulto. Esse livro é minha contribuição na luta antirracista. É também uma denúncia de um mundo transfóbico e gordofóbico”, diz Jared.
A narrativa apresenta diversas referências (inspiradas) na culinária quilombola; além de reflexões sobre a pressão estética, sobre o que é ser belo e formoso, e como podemos nos aceitar e nos amar mesmo quando os espaços sociais ainda não estão preparados para (e desprestigiam) os corpos gordos.
Além disso, o livro foi elogiado por celebridades e artistas importantes que possuem grande reconhecimento na mídia e amplo discurso social, como Jup do Bairro, cantora e compositora, vencedora do prêmio Multishow 2020; Tarso Brant, ator, que fez o personagem T Brant, na novela ‘A Força do Querer’, de Gloria Perez; Thales Alves, primeiro homem trans, preto e gordo a participar do Masterchef Profissionais; Viviany Beleboni; atriz, modelo e militante e; Lisa Gomes, jornalista e repórter.

O autor, Jared Amarante – Foto: Joshua/Divulgação.

O prefácio da obra foi feito pelo o psicólogo Wellington Oliveira e as ilustrações, por Nathan Borges. A obra está sendo vendida pela Giostri Editora e custa R$ 45.

Notícias relacionadas