2 de dezembro de 2020
Curiosidades
CONECTE-SE: Greta Gerwig, a diretora que conta histórias de mulheres quase reais

Greta Gerwig é tudo e mais um pouco, ela atua, escreve, roteiriza e dirige filmes. A mulher de mil facetas passou por poucas e boas até se encontrar no mundo cinematográfico e mostrar seu valor. Atualmente, Greta é reconhecida por ser uma das vozes da geração feminina e já chegou mostrando que veio para ficar desde seu primeiro filme de estreia como diretora, nada mais, nada menos do que: Lady Bird- A hora de voar.

O filme de 2016 foi o início de um sonho que deu muito certo para Greta. Em seu primeiro filme como diretora e roteirista, Greta levou diversas indicações ao Oscar, como melhor filme, melhor atriz coadjuvante, melhor atriz, Critics’ Choice Award: Melhor Diretor, Oscar de Melhor Roteiro Original e muito mais.

Greta Gerwig: la consagración del cine indie - Zeleb.es

SAOIRSE RONAN AND GRETA GERWIG em Lady Bird

É bastante impressionante que Greta tenha alcançado o tipo de status que alcançou- em sua estreia com Frances Ha que se tornou um sucesso de arte nos EUA. Seus filmes são teimosos, inquietos, concentrados em conversas mundanas e sem qualquer tipo de enredo tradicional. Embora a própria Gerwig tenha expressado pesar por ter trabalhado com Woody Allen em To Rome with Love,  é inegável que os filmes do diretor também a moldaram como artista.

Frances Ha brinca o tempo todo com as expectativas do público sobre a narrativa padrão para deixar um ponto claro e original sobre a amizade feminina. Na cena mais famosa do filme, Frances explica o que quer de um relacionamento: “aquela coisa quando você está com alguém e você os ama e eles sabem disso e eles amam você e você sabe disso, mas é uma festa e você ambos conversando com outras pessoas e você rindo e brilhando e você olha através da sala e olha nos olhos um do outro. Mas não porque você seja possessivo ou seja precisamente sexual, mas porque essa é a sua pessoa nesta vida. ”Gerwig ainda investe principalmente na jornada pessoal de seu protagonista, e não em seus relacionamentos, o que é um diferencial por si só.

Ao trabalhar com esses elementos, a diretora escâncara como é lidar com as  frustração reais de um jovem que não sabe ser adulto. Na verdade, é em uma situação financeira que leva a Frances a fazer um comentário existencial humorístico sobre sua identidade pessoal: “Estou tão envergonhada, ainda não sou uma pessoa real”, ela conta ao namorado quando o garçom lhe diz que aceite apenas cartões de crédito ou dinheiro.

 

O inicio de tudo:

Gerwig nasceu em agosto de 1984, no interior da Califórnia, em Sacramento estudou em um colégio católico e se mudou para Nova York para fazer faculdade. Ainda na faculdade, a cineasta planejava se tornar uma escritora de dramaturgia, mas deu tudo errado e ela acabou sendo rejeitada em todos os programas que se inscreveu.  Mas isso não a desanimou, Greta decidiu migrar para outro ramo e se arriscou na atuação, então, ainda enquanto estava na faculdade, aos 29 anos, sua carreira começou a nascer na cena do cinema independente. Em 2006 e 2007 atuou em dois filmes de Joe Swanberg, “LOL” e “Hannah Takes the Stairs”, onde além de atuar, Greta também co-dirigiu. Através desses filmes, ela se tornou conhecida como uma figura-chave no movimento crescente do filme independente.

Greta Gerwig: America's ubiquitous indie star (6 films to stream on Amazon this weekend) | City Pages

Greta Gerwig em Hannah Takes the Stairs (2007)

Após isso, Greta entrou em uma onda de atuações e participações em filmes muito diversificados, passando por diversas fases e áreas diferentes. Alguns filmes que a atriz participou foram  Greenberg  (2010), onde contracenou com grandes estrelas do cinema como Ben Stiller. Ela também se diversificou e explorou o mundo da dublagem, onde trabalhou como dubladora de um dos personagens principais da série de animação Adult Swim. Foi nessa mesma época que a atriz contracenou em um filme do conhecido diretor de Hollywood, Woody Allen, em To Rome With Love (2012).

Neste mesmo periodo, Gerwig conheceu seu marido Noah Baumbach  os dois trabalharam no filme “Greenberg” e de lá para cá, muita coisa já mudou. O casal trabalhou junto no filme Fracnes – Ha, onde co-escreveram juntos. O filme foi lançado em 2013 e até hoje é considerado um sucesso, levando Greta a concorrer o Globo de Ouro de Melhor Atriz – Filme Comédia ou musical por sua atuação. Os dois chegaram a trabalhar em outros filmes juntos, onde Greta atuava e Noah dirigia, como Mistress America (2015) e As histórias de Meyerowitz (2017). Porem, em 2019, Greta ja mostrava seu valor como diretora e voz de uma geracao feminina,  chegando a ganhar sua primeira indicacao ao Oscar de melhor direção, por ‘Adoráveis Mulheres’(2019)  e ganhando o Critics ‘Choice Movie Awards de Melhor Roteiro Adaptado. 

Apesar seus personagens não serem reais, a Frances de Greta, a Jo March e sua Lady Bird são, pelo menos, um pouco mais parecidas com elas mesmas – livres. E se você já foi/ou é  jovem, preso naquele espaço nebuloso da quase-idade adulta e incapaz de se prender a algum tipo de forma de normalidade construída, talvez haja um pouco dela em você também.

 

Publicado por



Posts Relacionados