27 de agosto de 2020
Conecte-se
CONECTE-SE | A grande Pequena Lo

Lorrane Silva é natural de Araxá, Minas Gerais, e vem ganhando muitos fãs na internet com seu conteúdo humorístico. Aos 24 anos, é formada em Psicologia e já se apresentou na abertura da Paralimpíada do Rio, em 2016, como dançarina do grupo Dance Company.

View this post on Instagram

A imagem que demonstra um dos dias mais felizes da minha vida, e um dos dias inesquecíveis que guardarei pra sempre.❤️🙌🏻😻#CerimoniadeAberturaParaolimpica

A post shared by Lorrane Silva (@_pequenalo) on

Dona de um carisma enorme distribuído em seu 1,30m de altura, a Pequena Lo, como é chamada, viu seu alcance se multiplicar ainda mais durante a quarentena. Se somar os números do Instagram, Twitter e Tik Tok, a jovem já passa de 1.8 milhão de seguidores.

Mas não foi do dia para noite que o sucesso aconteceu. Desde 2015, Lorrane aposta na publicação de conteúdo no YouTube. No começo, a intenção era falar sobre o preconceito por causa da sua deficiência – uma síndrome rara desconhecida, causada por problemas ósseos -, mas como sempre gostou de fazer graça, decidiu se jogar no humor para tornar suas publicações mais descontraídas.

View this post on Instagram

Cara de paisagem escutando a playlist…

A post shared by Lorrane Silva (@_pequenalo) on

Grata pela liberdade que seus pais a deram para fazer o que queria, Lo não deixou de se abalar por comentários negativos. Em uma entrevista ao Estadão, a jovem contou que se mostrava nem aí se alguém a chamasse de baixinha.

“Usei o humor em torno da minha condição a meu favor […]. Algumas pessoas têm receio de perguntar [da altura, condição, idade]. A galera confunde um pouco, acha que estão rindo pela minha muleta, não pelo humor que eu quero passar. Se eu estou postando um vídeo de humor, certamente é pra galera rir”, afirma.

Ainda é comum que muita gente fale de pessoas com deficiência como um exemplo de superação, como se fosse algo a ser superado em vez de aceito. E a Pequena Lo vem quebrando esse esteriótipo muito bem ao ser vista como uma humorista, não como uma deficiente, não deixando de ressaltar a importância da diversidade e inclusão na internet.

Publicado por

Jornalista recém-formada apaixonada por música, cinema, viagens e esportes.



Posts Relacionados